Como ter um animal silvestre

Dados da Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais (Renctas) revelam que pode chegar a 38 milhões o número de animais silvestres vítimas do tráfico e contrabando a cada ano no Brasil. Os dados são alarmantes, e são também alimentados por pessoas que não sabem que cuidados devem ter ao adquirir um animal silvestre.

Animais silvestres também podem se tornar animais de estimação, mas é necessário que alguns quesitos sejam observados previamente, como a posse responsável e a comprovação de origem legal do animal.

Veja a seguir informações para não prejudicar a fauna ou incentivar o comércio clandestino quando adquirir um animal silvestre:

O que são considerados animais silvestres

São considerados animais silvestres ou selvagens aqueles que vivem ou nascem em um ecossistema natural. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) faz exigências quanto à criação, reprodução e comercialização destes.

Como identificar um animal silvestre legal

De acordo com o Ibama, podem ser criados em casa com fins de estimação, animais provenientes de criadores comerciais ou de revendedores autorizados. Os animais vendidos nestes locais devem possuir marcação individual na forma de anilha ou microchip, além de nota fiscal contendo o nome popular do animal, bem como o nome científico, a quantidade e o nome do comprador.

Dentre os animais autorizados, podem ser citados os papagaios verdadeiros e maracanã, as araras canindé e vermelha, jandaias, tigre d’água, corrupião, pássaro preto, canário da terra e ararajuba.

Alguns estados têm leis próprias, como São Paulo, que desde 2008 proibiu a venda de répteis como iguanas, jibóias e jabutis.

O que é a posse responsável

A posse responsável significa de fato assumir a responsabilidade pelo animal. O comprador assina um termo de responsabilidade e se compromete a fornecer os cuidados necessários e adequados descritos em um manual específico que recebe, respeitando suas características e necessidades para alimentação, prevenção e tratamento de doenças, fornecimento de abrigo, e segurança adequados.

Acesse outras informações úteis em Dicas.

Deixe um comentário